Suplementação de multivitamínico e Risco de Doença cardiovascular

A suplementação de cápsulas multivitamínicas (CM) tem se tornado popular nos últimos anos. Os seus consumidores buscam melhorar a saúde e prevenir doenças, especialmente as doenças cardiovasculares (DCVs). No entanto, apesar da popularidade do uso de CM, a evidência científica sobre seus benefícios ainda é controversa.

Com objetivo de avaliar eficácia dos complexos vitamínicos na saúde cardiovascular de adultos e idosos, pesquisadores americanos da Universidade de Baltimore realizaram uma meta-análise de 18 estudos clínicos que totalizaram mais de 2 milhões de participantes.  Os estudos apresentaram diferentes doses de CM e do tempo de suplementação. Para diminuir vieses da análise, os autores estratificaram a amostra total dos participantes em subgrupos distintos de acordo com período de suplementação, idade, sexo, dieta, sedentarismo, tabagismo e história prévia de AVC.

Resultados mostraram que não houve associação entre suplementação de CM e redução do risco de mortalidade por DCVs em geral (risco relativo [RR]= 1; IC 95%). Quando avaliado doenças específicas, também não houve diferença na taxa de mortalidade por doença coronariana (RR= 1,02; IC 95%) e por acidente vascular cerebral (RR= 0,95; IC 95%).

Em relação a incidência, o estudo encontrou que a suplementação de CM apresentou menor risco a incidência de doença coronariana na população em geral (RR= 0,88; IC 95%). No entanto, quando análise foi separada pelos subgrupos citados anteriormente, esse resultado não foi significativo. Os autores concluíram que a suplementação com cápsulas multivitamínicas não é garantia de melhora dos desfechos cardiovasculares na população em geral.

Referência: Kim J, Choi J, Kwon SY, et al. Association of Multivitamin and Mineral Supplementation and Risk of Cardiovascular Disease: A Systematic Review and Meta-Analysis. Circ Cardiovasc Qual Outcomes. 2018; 11(7):e004224.

Por: Priscila Garla