Influência de dietas pobres em glúten e FODMAP em indivíduos com sensibilidade ao glúten não-celíaca

A grande maioria da população sofre com problemas gastrointestinais como flatulência excessiva, inchaço abdominal, diarreia e constipação; que são situações frequentemente relacionadas a má digestão de alimentos. Indivíduos que apresentam a Síndrome do Intestino Irritável ou sensibilidade ao glúten não celíaca (SGNC) apresentam esses sintomas com maior frequência ao consumir certos alimentos e, por esse motivo, estudos mostram que grande parte deles se beneficiariam da dieta com baixo teor de FODMAPs.

FODMAP é a sigla em inglês para Fermentable Oligosaccharides, Disaccharides, Monosaccharides and Polyols (oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis fermentáveis) e são compostos alimentares rapidamente fermentados por microrganismos que habitam nosso intestino. A SGNC é caracterizada por sintomas intestinais e extra intestinais desencadeados pela ingestão de glúten. No entanto, têm se estudado que uma dieta reduzida de FODMAP parece melhorar parcialmente esses sintomas.

Um estudo recentemente publicado estudou por períodos distintos a influência da dieta com baixo FODMAP e glúten em sinais clínicos e psicológicos como bem-estar, inflamação e integridade da microbiota intestinal. Dezenove pacientes com SGNC e 10 indivíduos saudáveis ​(controle) ​consumiram dieta padrão com glúten antes de iniciar o estudo. Na primeira etapa, participantes consumiram dieta com baixo FODMAP por duas semanas. Após esse período, participantes realizaram período de transição de cinco dias e iniciaram a segunda parte de estudo com ingestão de dieta sem glúten por mais duas semanas.

Ambas dietas, com baixo FODMAP e glúten, mostraram melhora significativa dos sinais clínicos e psicológicos em indivíduos com SGNC. Diferenças significativas na composição da microbiota intestinal foram observadas em amostras de fezes em todos os participantes, com maior variabilidade nos pacientes com SGNC. No período da dieta sem glúten encontrou-se redução significativa dos linfócitos duodenais intra epiteliais e nas células caliciformes (produtoras de mucina). Os autores do estudo concluíram que ambas as dietas tiveram efeito funcional positivo na SGNC através da diminuição da reação do sistema imunológico e do desiquilíbrio microbiano intestinal, especialmente com uma dieta sem glúten.

Referência: Dieterich W, Schuppan D, Schink M, Schwappacher R, Wirtz S, Agaimy A, Neurath MF, Zopf Y. Influence of low FODMAP and gluten-free diets on disease activity and intestinal microbiota in patients with non-celiac gluten sensitivity. Clin Nutr. 2018: S0261-5614(18)30129-8. 

Por: Mariane Marques