AGA – Diretrizes dieta low FODMAPs na síndrome do intestino irritável

A Associação Americana de Gastroenterologia (AGA) publicou novas diretrizes para orientar o aconselhamento e as melhores práticas sobre a dieta no tratamento da Síndrome do Intestino Irritável (SII).

Evidências crescentes apoiam modificações na dieta como tratamento primário para os sintomas da SII, especialmente a dieta de baixa fermentação, pobre em oligo, di e monossacarídeos e polióis (FODMAP).

O aconselhamento dietético é idealmente prescrito para pacientes com SII que conseguem perceber associação entre seus sintomas gastrintestinais e suas refeições, e estão motivados a fazer as mudanças necessárias. Para otimizar a qualidade da intervenção e da resposta clínica, é necessário o encaminhamento a um nutricionista especialista, principalmente para pacientes que não são capazes de implementar mudanças alimentares benéficas por conta própria.

Intervenções dietéticas específicas devem ser tentadas por um período de tempo pré-determinado. Se não houver resposta clínica, a intervenção dietética deve ser abandonada por outra alternativa de tratamento, como uma dieta diferente, medicação ou outra forma de terapia.

Pacientes com SII que consomem poucos alimentos gatilho, em risco de desnutrição, que não possuem segurança alimentar e aqueles com transtorno alimentar ou transtorno psiquiátrico não controlado são maus candidatos a intervenções com dieta restritiva. A triagem de rotina para transtornos alimentares ou transtornos alimentares por meio de uma história alimentar cuidadosa é fundamental, pois são comuns e muitas vezes negligenciados em condições gastrintestinais. Antes de comprometer os pacientes com uma dieta restritiva, é fundamental excluir os comportamentos alimentares desordenados e os transtornos alimentares.

A dieta com baixo teor de FODMAP consiste em 3 fases: 1) restrição com duração não superior a 4-6 semanas, 2) reintrodução de alimentos FODMAP e 3) personalização com base nos resultados da reintrodução. Embora os estudos observacionais tenham constatado que a maioria dos pacientes com SII melhora com uma dieta sem glúten, os ensaios controlados randomizados produziram resultados mistos.

A fibra solúvel é eficaz no tratamento dos sintomas globais da SII, e pode ser encontrada em psyllium, casca de psyllium, fibra de milho, farelo de aveia, polpa de frutas e vegetais, policarbofila cálcica e metilcelulose. A fibra insolúvel não deve ser utilizada no tratamento da SII, pois pode exacerbar o inchaço e a dor abdominal. Essa fibra é encontrada principalmente em farelo de trigo, grãos integrais, cascas de frutas e vegetais e sementes.

Confira o documento completo da associação, clicando aqui.

Leia Mais