Dieta a base de vegetais, rica em carboidratos e pobre em gorduras em indivíduos com excesso de peso

Maus hábitos alimentares são associados com risco aumentado de doenças metabólicas. Revisões sistemáticas e metanálises têm mostrado que padrões alimentares ricos em carboidratos de baixo índice glicêmico e fibras dietéticas tem efeito benéfico no emagrecimento, contudo, o papel dos carboidratos no controle de peso ainda é controverso.

Recentemente, pesquisadores americanos realizaram um estudo randomizado controlado com o objetivo de avaliar efeito de dieta vegana rica em carboidratos e baixa gordura, no controle do peso, composição corporal e na resistência à insulina em adultos com excesso de peso durante o período de 16 semanas.

Foram excluídos os indivíduos com comorbidades, uso de medicamentos com influência no apetite, gestantes, evidências de transtorno alimentar, consumo diário de álcool ou contrários aos requisitos do estudo.

O total de 75 adultos com IMC entre 28 e 40 kg/m2 foram incluídos no estudo. Participantes do grupo controle foram orientados a manter a dieta habitual; enquanto que o grupo intervenção foi recomendado consumo de dieta vegana a base de grãos, vegetais, frutas e pobre em gorduras. Nesse grupo, a ingestão de calorias e CHOs não foi limitada, apenas de gordura que ficou entre 20 e 30g por dia.

Variáveis dietéticas foram analisadas por software específico, da composição corporal por DEXA, resistência à insulina pelo índice HOMA-IR e da atividade física pelo IPAQ (International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) e comparadas do período inicial do estudo e após 16 semanas.

Análise dietética mostrou que a dieta vegana (intervenção) apresentou média de 69% de CHOs e 17% de gordura; enquanto que a dieta controle (habitual) continha média de 46% de CHOs e 35% de gordura.  A dieta vegana foi associada à redução do peso corporal, da massa gorda e da resistência à insulina. Isoladamente, análise estatística com os carboidratos totais mostrou associação à diminuição do IMC e da gordura visceral. Análise das fibras totais, particularmente da fibra insolúvel, foi associado com diminuição no IMC, massa gorda e do volume de gordura visceral.

Estudos futuros ainda são necessários para elucidar os mecanismos envolvidos nos benefícios metabólicos dos carboidratos e seu papel na regulação do peso corporal, composição corporal e resistência à insulina.

 

Referência: Kahleova H, Dort S, Holubkov R, Barnard ND. A Plant-Based High-Carbohydrate, Low-Fat Diet in Overweight Individuals in a 16-Week Randomized Clinical Trial: The Role of Carbohydrates. Nutrients. 2018; 14;10(9).

Por: Viviane Lago