Fitoterápicos e Rendimento Esportivo

 

O uso de suplementos a base de plantas tem aumentado em atletas e praticantes de atividade física. Esses produtos, também chamados de fitoterápicos, podem ser extraídos de sementes, raízes, folhas, cascas, bagas ou flores, e conter diversas classes de fitoquímicos como carotenoides, polifenóis, ácidos fenólicos, alcalóides, flavonóides, glicosídeos, saponinas e lignanas. Acredita-se que fitoterápicos podem trazer benefícios para a saúde; e alguns deles tem sido usados com objetivo de aumentar a força muscular e o rendimento esportivo. Neste sentido, um artigo recentemente publicado pela revista Journal of the International Society of Sports Nutrition revisou categorias de suplementos a base de plantas e seus benefícios na performance esportiva.

Panax ginseng (Ginseng) é um dos fitoterápicos mais populares entre atletas e tem sido utilizado para efeito anti-inflamatório, antioxidante, estimulante da função cerebral, anabólico e para melhorar sistema imune e performance física. A cafeína, metilxantina encontrada em algumas plantas, pode ter benefícios de saúde e exercer efeitos ergogênicos em exercícios de endurance e performance anaeróbia, porém seu consumo em doses elevadas (> 400 mg/dia) pode levar a efeitos colaterais negativos. Zingiber officinale Roscoe (Gengibre) foi apontado como seguro e pode apresentar efeitos anti-inflamatórios. O extrato da Camellia sinensis (L.) (Chá verde) tem sido usado ​​para melhorar a massa corporal e a composição em atletas. Outras ervas como Rhodiola rósea L. e Astragalus propinquus ajudam a aliviar dores musculares e nas articulações, mas os resultados sobre os seus efeitos no desempenho esportivo ainda são escassos.

Algumas plantas mostraram efeitos adversos nessa população. O composto bioativo efedrina, que pode atuar na capacidade aeróbica, fadiga e estado de alerta durante exercício (com diminuição do tempo de reação), teve seu uso vedado. Seus efeitos colaterais mostraram aumento de distúrbio do sono, ansiedade, dor de cabeça, alucinação, hipertensão arterial, frequência cardíaca acelerada, perda de apetite e incapacidade de urinar.

Os autores dessa revisão alertam que, apesar de efeitos positivos, os suplementos a base de plantas devem ser usados com precaução, pois altas doses podem causar efeitos colaterais, principalmente no sistema gastrointestinal e renal. A orientação por profissionais de saúde como médico e nutricionista especializados é recomendada para adequado uso de suplementos fitoterápicos com efeito satisfatório e seguro no rendimento físico.

Referência: Sellami M, Slimeni O, Pokrywka A, Kuvačić G, D Hayes L, Milic M, Padulo J. Herbal medicine for sports: a review. J Int Soc Sports Nutr. 2018 Mar 15;15:14.

Por: Lenycia Neri