Efeito do leite fervido na aceleração da tolerância da alergia à proteína do leite de vaca

Alergia a proteína do leite de vaca (APLV) é o tipo mais comum de alergia alimentar em crianças, sendo que a maioria desenvolve tolerância espontânea por volta dos 3 anos. Para o adequado diagnóstico da APLV, além da história clínica, deve ser realizado a dosagem sérica de imunoglubulina E específico para APLV (sIgE), teste cutâneo de puntura (TCP ou Prick test), teste alimentar oral (TAO) ou pela dieta de eliminação do alergênico.

Em recente estudo randomizado controlado conduzido por Hossein e colegas, foi investigado se alimentos contendo leite de vaca previamente fervido poderiam acelerar a tolerância ao leite de vaca em crianças.

Foram selecionadas crianças com diagnóstico de APLV mediada por IgE, com queixas de manifestações gastrointestinais, cutâneas, respiratórias ou sistêmicas após exposição ao alergênico. Para o estudo, foi confirmada tolerância ao consumo de muffin com leite no teste de TAO.

As crianças foram divididas em dois grupos, sendo o grupo intervenção (n= 42 crianças) e grupo controle (n=42), ambos semelhantes demograficamente e em relação a história prévia de alergias. No grupo intervenção, os participantes foram orientados a consumir diariamente alimentos que continham leite de vaca fervido na sua composição como muffin (primeiros 6 meses) e pizza por mais 6 meses. No grupo controle, as crianças foram orientadas a evitar todos alimentos e produtos que continham leite de vaca por 12 meses.

Ao final dos 12 meses, em ambos os grupos, foi realizado o teste de tolerância oral com o leite de vaca não fervido para avaliar a tolerância alimentar. Do grupo intervenção, 88% dos participantes desenvolveram tolerância ao leite de vaca ao final do estudo, enquanto 66% das crianças do grupo controle apresentaram a tolerância (p=0,018).

Cerca de 20% das crianças do grupo controle apresentaram história de anafilaxia a produtos lácteos e permaneceram reativos ao leite não aquecido. No grupo intervenção, 40% apresentaram história de anafilaxia a produtos lácteos, sendo que destes 41% desenvolveu tolerância ao leite de vaca no final do estudo. Contudo, os níveis de sIgE encontrados no início do estudo não diferiram entre os grupos, não sendo possível a predição de tolerância ao leite cozido ao final do estudo.

Os autores concluíram que a introdução controlada de alimentos contendo leite de vaca, previamente fervido, parece acelerar a tolerância a APLV em crianças, no entanto, mais investigações são necessárias.

Referência: Esmaeilzadeh H, Alyasin S, Haghighat M, et al. The effect of baked milk on accelerating unheated cow’s milk tolerance: A control randomized clinical trial. Pediatr Allergy Immunol. 2018.

Por: Marcella Gava Brandolis