Dieta plant-based/ low-fat versus dieta onívora low carb/cetogênica na ingestão energética

Várias teorias tentam explicar os mecanismos de regulação da ingestão energética em pessoas com sobrepeso e obesidade. O modelo carboidrato-insulina postula que dietas ricas em carboidratos levam ao excesso de secreção de insulina, aumentando a ingestão de energia e promovendo o acúmulo de gordura. Por outro lado, o modelo que considera baixa ingestão de carboidratos prevê a redução voluntária (de acordo com a vontade do paciente – ad libitum) da ingestão de energia em comparação com as dietas com baixo teor de gordura e alto teor de carboidratos.

Para testar estas duas hipóteses, Hall e colaboradores acompanharam 20 adultos com idade de 30 anos e índice de massa corporal (IMC) de 27,8 ± 1,3 kg m². Os pacientes foram internados no National Institute of Health Clinical Center e randomizados para consumir uma dieta minimamente processada à base de vegetais, baixo teor de gordura e alto teor de carboidratos (10,3% de gordura e 75,2% de carboidratos) com alta carga glicêmica (85 g/ 1.000 kcal) ou uma dieta cetogênica minimamente processada, à base de animais e pobre em carboidratos (75,8% de gordura e 10% de carboidratos) com baixa carga glicêmica (6 g /1.000 kcal). Todos os pacientes incluídos consumiram ambas as dietas de estudo por um período de 2 semanas, e a alternação de uma dieta para outra se deu imediatamente após o final do consumo da primeira. Foi identificado um caso de hipoglicemia que levou a desistência do participante durante a dieta pobre em carboidratos.

Os resultados primários compararam a ingestão média diária de energia ad libitum entre cada período de 2 semanas e na semana final de cada dieta. Os autores identificaram que a dieta com baixo teor de gordura levou a menor ingestão de energia, com redução de 689 ± 73 kcal/d na primeira semana (p < 0,0001) e 544 ± 68 kcal/d na segunda semana (p < 0,0001), em comparação a dieta com baixo teor de carboidratos em 2 semanas. Portanto, foi concluído que as teorias do modelo de carboidrato-insulina podem ser inconsistentes e se associam ao aumento da ingestão energética.

Referência:  Hall KD, Guo J, Courville AB. Effect of a plant-based, low-fat diet versus an animal-based, ketogenic diet on ad libitum energy intake. Nat Med. 2021 Feb;27(2):344-353.Link de acesso: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33479499/

Por Lidiane Catalani