Capacidade de exercício de corredores Veganos, Lacto-ovo-vegetarianos e Onívoros

Os atletas de resistência têm interesse em planos dietéticos que colaboram de forma positiva na capacidade e saúde do exercício, redução da gordura corporal e aumento da massa muscular. Os parâmetros para analisar a capacidade de exercício incluem potência máxima e concentração de lactato.

Dietas vegetarianas são caracterizadas pela maior ingestão de carboidratos; o que sugere contribuição favorável na capacitação do exercício. Além disso, o aumento da ingestão de nutrientes antioxidantes induzido pela dieta à base de vegetais, pode ter resultados positivos no estresse oxidativo induzido pelo exercício. Por outro lado, foi demonstrado que vegetarianos, e especialmente os veganos, têm níveis mais baixos de ferritina, baixa ingestão de proteínas, creatina e carnitina, o que poderia afetar negativamente o desempenho. Até o momento, o impacto de uma dieta à base de vegetais no desempenho esportivo não é claramente elucidado. Nesse sentido, estudou-se a hipótese de que não há diferenças no desempenho dos exercícios entre onívoros, ovo-lacto-vegetarianos e corredores recreativos veganos.

O estudo transversal foi realizado corredores recreativos veganos (VEG, n = 24), lacto-ovo-vegetarianos (LOV, n = 26) e onívoros (ON, n = 26). Para determinar a capacidade máxima de exercício, os participantes realizaram um teste de esforço em bicicleta ergométrica até a exaustão voluntária. Durante o teste, foram coletadas amostras de sangue capilar em vários momentos para a medição das concentrações de lactato arterial e glicose. Para determinar a ingestão de nutrientes, foi realizado um recordatório de 24 horas.

Os grupos apresentaram hábitos de treinamento comparáveis ​​em termos de frequência de treinamento (p = 0,735), tempo (p = 0,079) e distância de corrida (p = 0,054). Além disso, foi observada uma potência máxima semelhante nos três grupos (p = 0,917) e sem diferenças em relação a concentração de lactato durante o teste ergométrico e o lactato máximo foi observado entre os grupos (p = 0,648).

Assim, os dados indicaram que cada dieta examinada não tem vantagens nem desvantagens em relação à capacidade de exercício. Esses resultados sugerem que uma dieta vegana pode ser uma alternativa adequada para corredores recreacionais.

Referência: Nebl J, Haufe S, Eigendorf J, Wasserfurth P, Tegtbur U, Hahn A. Exercise capacity of vegan, lacto-ovo-vegetarian and omnivorous recreational runners. J Int Soc Sports Nutr. 2019, 20;16(1):23. 

Por: Mariane Marques