Diretriz de Prática Clínica KDOQI para nutrição na Doença Renal Crônica (DRC)

Nova atualização da diretriz de nutrição para adultos com DRC foi publicada pela National Kidney Foundation’s Kidney Disease Outcomes Quality Initiative (KDOQI). A DRC é classificada em estágios 0, 1, 2, 3a, 3b, 4 e 5, conforme o ritmo de filtração glomerular, proteinúria, albuminúria em 24h ou relação albumina/creatinina urinária em amostra única. Os estágios 4 e 5 da DRC são os mais severos.

A diretriz recomenda aplicação de triagem nutricional de rotina, principalmente na DRC estágios 3 a 5 ou pós-transplante, pelo menos semestralmente, para identificar aqueles em risco de desnutrição energético proteica, do inglês protein energy wasting (PEW).

A avaliação antropométrica é recomendada em todos pacientes renais na primeira consulta e nas visitas periódicas. Absortometria de raio-X de dupla energia (DEXA) é padrão-ouro para avaliação da composição corporal de todos pacientes. Na impossibilidade, é sugerido uso de bioimpedância multifrequencial para avaliar a composição corporal. Na ausência de edema, dobras cutâneas podem ser avaliadas para medida da gordura corporal. As avaliações antropométricas devem ser realizadas no mínimo 30 minutos ou mais após o final da sessão de hemodiálise para garantir a redistribuição de fluidos corporais. O IMC pode ser avaliado a cada 6 meses nos estágios 1-3, a cada 3 meses nos estágios 4-5 e mensalmente na HD.

Na DRC estágio 5, recomenda-se uso da ASG de 7 pontos para avaliar o estado nutricional. O escore de desnutrição-inflamação (MIS) está indicado na HD e pós-transplante.

A calorimetria indireta é o melhor método para o gasto energético de repouso (GER). Em pacientes metabolicamente estáveis, equações preditivas podem ser usadas para estimar o GER ou 25-35kcal/kg/dia. Para oferta proteica, pacientes com DRC 3 a 5, recomenda-se restrição de proteínas com ou sem análogos de cetoácidos: 0,55 a 0,6g/kg/dia, ou de 0,28-0,43g/kg/dia + análogos de cetoácidos adicionais para atender até 0,6g/dia. Pacientes estáveis em HD ou diálise peritoneal, recomenda-se de 1 a 1,2 g/kg/dia.

Na terapia nutricional da DRC, é destacado o cuidado aos micronutrientes. Avaliar deficiências nutricionais, em especial da vitamina C, D, K, ácido fólico e cálcio. A restrição de fósforo alimentar deve ser avaliada individualmente, em todos os estágios da DRC. O potássio deve ser ajustado na DCR estágios 3 e 5 para manter os níveis dentro da faixa de normalidade. Na hipocalemia, a suplementação deve ser instituída.

Na DRC estágios 3 a 5, é sugerido limitar a oferta de sódio para menos que 2,3g ao dia.

Para conhecer a suplementação de micronutrientes, acesse a diretriz na íntegra clicando aqui